Pudim de Gabinete

Receita de origem mineira (de Clary Figueiredo Antunes), essa variação do Pudim de Gabinete clássico tem frutas cristalizadas, rum e biscoito champanhe. Tem cara de fim de ano, né?

Por que “pudim de gabinete”? Segundo a descrição que consta num livro antigo:

“Quando era menina, em Catas Altas, a 120 quilômetros de Belo Horizonte, a diversão de Clary nos finais de ano era espiar um grande armário da cozinha. O móvel exercia sobre ela o mesmo fascínio que uma árvore de Natal e seus embrulhos misteriosos. Mas o que aguçava a curiosidade nos olhinhos de Clary era o grande tesouro que sua avó guardava lá dentro, às vésperas da grande ceia.

Naquela época, não existia geladeira“, revela. Assim, a grande atração da noite era o pudim guardado a sete chaves no gabinete, aquele armário da cozinha que tanto atraía Clary. “Vovó fazia com todas as frutas que davam em nosso quintal, mas era servido só nesta época do ano“, conta. “Para conservá-lo, ela colocava uma quantidade maior de açúcar e a janelinha tampada com treliça permitia que o doce recebesse ventilação“”.

Ingredientes

  • 250 g de frutas cristalizadas
  • meia xícara (chá) de passas sem sementes
  • 1 xícara (chá) de rum
  • 2 xícaras (chá) de leite
  • 1 colher (sopa) de essência de baunilha
  • 6 ovos
  • 1 xícara (chá) de açúcar
  • 1 pacote de biscoito champanhe
  • 1 vidro pequeno de geleia de damasco

Modo de Preparo

Pique as frutas cristalizadas em pedaços bem pequenos, junte às passas e deixe tudo macerar no rum por algumas horas.

Ferva o leite com a baunilha.

Bata os ovos inteiros com o açúcar, então junte o leite fervente sem parar de bater, formando um creme; deixe esfriar.

No fundo de uma forma untada com manteiga e polvilhada com açúcar, coloque uma camada de biscoitos picados, por cima uma camada de frutas escorridas (reserve o rum), e siga alternando camadas de biscoitos e frutas, até completar. Coloque por cima, com cuidado, a mistura de leite e ovos já fria. Os biscoitos ficar embebidos na mistura, mas não flutuar.

Leve ao forno médio, em banho-maria, e deixe assar por cerca de 1 hora. Desenforme depois de frio e sirva com a geleia de damasco diluída no rum reservado.

Grande acervo de receitas vindas de coleções pessoais, agora compartilhadas.

Deixe um Comentário

*

Ou comente usando o Facebook

Próxima ReceitaSopa de Camarão à Moda de Lisboa